terça-feira, 20 de março de 2012

A História da Ciência: A Terra é o Centro de Tudo



Amigo Leitor,

Este é o segundo capítulo de nossa História da Ciência.
Neste  documentário da série Poeira das Estrelas, de autoria de Marcelo Gleiser, físico brasileiro e divulgador científico, são retratadas a vida e obra de dois grandes cientistas: 
 Tycho Brahe e 
 Johannes Kepler.

Embora hoje pareça uma piada, Tycho Brahe contrata Johannes Klepler para provar que a Terra é o centro do sistema solar! 




Saudações Pensantes! 

Celo



Precisamos provar de uma vez por todas que a Terra é o centro do Sistema Solar!





Tycho Brahe nasceu em 14 de dezembro de 1546, numa família nobre da Dinamarca. Com 13 anos, Tycho foi estudar direito e filosofia na Universidade de Copenhague. Aos 16 anos, seu tio o enviou a Leipzig, na Alemanha, para continuar seus estudos de direito.

Mas ele estava obcecado com a Astronomia e foi aprofundando seus estudos autodidáticos cada vez mais intensamente, comprando livros e instrumentos de astronomia e estudando noites a fio.

Foi o primeiro astrônomo a calibrar e checar a precisão de seus instrumentos periodicamente. Também foi o primeiro a instituir observações diárias, e não somente quando os astros estavam em configurações especiais, descobrindo assim anomalias nas órbitas até então desconhecidas.

Em 1599 ele chegou em Praga, onde o Imperador Rudolph II o nomeou matemático imperial, e pôde continuar suas observações. Em 1600 contratou Johannes Kepler para ajudá-lo e faleceu em 24 de outubro de 1601.

Johannes Kepler nasceu em 27 de dezembro de 1571, no sul da atual Alemanha. Em setembro de 1588 Kepler passou no exâme de admissão (bacharelado) da Universidade de Tübingen, onde estudava teologia. 

Em 1591 foi aprovado no mestrado, completando os dois anos de estudos em Artes, que incluía grego, hebreu, astronomia e física.

Além de professor de matemática trabalhou como calendarista, um tipo de horóscopo que era levado muito a sério na época, que tinha como tarefas prever o clima, dizendo a melhor data para plantar e colher, prever guerras e epidemias e mesmo eventos políticos.

Kepler fazia os calendários porque era sua obrigação, mas tinhas sérias restrições à sua veracidade, dizendo por exemplo: "Os céus não podem causar muitos danos ao mais forte de dois inimigos, nem ajudar o mais fraco... Aquele bem preparado supera qualquer situação celeste desfavorável."

Em 1600 começou a trabalhar para Tycho Brahe em Praga. Logo depois, em 24 de outubro de 1601, Brahe morreu. Dois dias depois o imperador nomeou Kepler como matemático imperial, sucedendo Brahe.

Entre 1617 e 1621 Kepler publicou os 7 volumes do Compendium da Astronomia Copernicana, que se tornou a introdução mais importante à astronomia heliocêntrica, e um livro texto de grande uso. Este livro foi colocado no Index de livros proibidos pela Igreja Católica.

A razão da proibição era que no Salmo 104:5 do Antigo Testamento da Bíblia, está escrito: "Deus colocou a Terra em suas fundações, para que nunca se mova".

Em 1619 Kepler publicou Harmonia do Mundo, em que derivava que as distâncias heliocêntricas dos planetas e seus períodos estão relacionados pela Terceira Lei, que diz que o quadrado do período é proporcional ao cubo da distância média do planeta ao Sol.


Referências Bibliográficas:

http://astro.if.ufrgs.br/bib/index.htm
http://www.if.ufrgs.br/einstein/genio.htmlhttp://www.observatorio.ufmg.br/pas06.htm
http://www.observatorio.ufmg.br/pas06.htm
http://www.if.ufrgs.br/einstein/genio.html
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Amigo leitor!

Seu comentário é fundamental para mim, critique, elogie. Aqui você tem plena liberdade em discordar do que foi postado. Registre sua maneira de pensar!

Ou ainda se desejar entrar em contato com este autor escreva para:

cienciapensante@gmail.com


Muitíssimo obrigado!

Celo

Postar um comentário